Ao Pé da Letra, um livro infantojuvenil importante.

Há alguns dias estava no meu momento de lazer vendo vídeos no youtube relacionado a livros e me deparei com “Ao Pé da Letra”. Rapidamente percebi que seria interessante falar sobre ele no blog.

 

 

Ao terminar de ver o vídeo fui procurar o autor dele: Rafael Nolli, 38 anos, professor e poeta. O contatei explicando a respeito dos assuntos que tratamos no blog e pedi que ele falasse um pouco sobre o livro já que nada melhor do que o próprio autor falar sobre sua obra.

Ao Pé da Letra – Considerações

Escrito por Rafael Nolli com ilustrações do Gutto Paixão o livro infantojuvenil fala a respeito de Dorothy. Sua criação foi inspirada nas características encontradas nas pessoas com a Síndrome de Asperger. Segundo a neuropsiquiatra Dra. Evelyn Vinocur “A Síndrome de Asperger é um transtorno neurobiológico enquadrado dentro da categoria de transtornos globais do desenvolvimento. Ela foi considerada, por muitos anos, uma condição distinta, porém próxima e bastante relacionada ao autismo.”

 

 

 

 

 

 

 

 

Os sintomas da Síndrome de Asperger podem variar de pessoa para pessoa, e variam também de intensidade e gravidade. Os sinais mais comuns incluem:

·      Problemas com habilidades sociais.

·     Comportamentos excêntricos ou repetitivos.

·     Práticas e rituais incomuns.

·     Poucos interesses.

·     Problemas de coordenação.

·     Muito habilidosos ou talentosos em assuntos específicos.

·     Presença de um padrão repetitivo e restritivo de atividades, interesses e comportamentos.

·    Estereotipias (ecolalia, por exemplo), insistência em uma atividade específica, adesão estrita a rotinas, interesses restritos e incomuns, hiper-reatividade ou hipo-reatividade a estímulos sensoriais.

( Para saber mais sobre asperger leia nossa matéria clicando aqui )

Características da Síndrome de Asperger retratadas na obra:

* Dificuldade em entender linguagem conotativa. Um exemplo aplicado na obra: o nome da personagem principal foi “retirado” do livro o Mago de Oz. Ao saber disso, Dorothy reage com certo temor: “como vão entender o livro, se retiraram um nome dele?”, ela se pergunta.

* Dificuldade em compreender ironia: não compreende a ironia da Tia Leonor que sugere que ela seja uma aluna especial (ou seja, uma aluna de inclusão, com necessidades especiais).

 * Inteligência acima da média em assuntos específicos. No caso de Dorothy, conhecimento em paleontologia e o fato dela ter aprendido a ler sozinha: há relatos de portadores de Asperger que aprenderam a ler sozinhos.

* Problemas de coordenação motora. Exemplo na obra: amarrar o cadarço; se destacar nos esportes.

* Apego a rotinas. Exemplo: tinha sede e necessitava beber água sempre no mesmo horário (exatamente quando o relógio marcava 14 minutos para as 14 horas).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Rafael ,como professor, pensou também nas oportunidades que teria em utilizar seu livro em sala de aula. A obra possibilita falarmos a respeito das diferenças, refletir e debater sobre educação inclusiva, tratar sobre o combate contra bullying e trabalhar vários assuntos de português como: termos figurativos, figuras de linguagem e linguagem conotativa/denotativa.

Quero agradecer ao Rafael pela contribuição e dizer que para adquirir o livro é só entrar em contato pelo email [email protected] .

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *