O que é Síndrome de West ?

Você conhece a síndrome de West? Neste post iremos tirar suas dúvidas a respeito dessa síndrome que afeta os bebês e afeta seu desenvolvimento.

O que é?

A síndrome de West é uma condição rara caracterizada por crises epiléticas frequentes, sendo mais comum entre os meninos e que começa a se manifestar durante o primeiro ano de vida do bebê. Geralmente as primeiras crises acontecem entre os 3 e 5 meses de vida, embora o diagnóstico possa ser feito até os 12 meses.

Exemplo de espasmo causado pela síndrome de West:

Existe 3 tipos dessa síndrome:

1º- Sintomática: quando o bebê fica muito tempo sem respirar ao nascer

2º- Criptogênica: quando é causada por alguma outra doença ou anormalidade cerebral

3º- Idiopática: quando não conseguem descobrir a causa e o bebê apresenta desenvolvimento motor.

As principais características dessa síndrome são o atraso no desenvolvimento psicomotor e crises epiléticas diariamente. Cerca de 90% das crianças com esta síndrome geralmente possuem atraso mental, autismo e as alterações bucais são muito frequentes. Bruxismo, respiração bucal, má oclusão dentária e gengivite são as alterações mais comuns nessas crianças.

Causas

Não se conhece ao certo as causas desta condição, mas, como citado, o mais comum são problemas no nascimento, como a falta de oxigenação cerebral no momento do parto ou logo após o nascer e problemas genéticos.

Algumas situações que podem favorecer está síndrome são: a má formação cerebral, prematuridade, sepsia, Síndrome de Algeman, AVC, ou infecções como rubéola ou citomegalovírus durante a gravidez, além do uso de drogas ou consumo excessivo de álcool na gestação.

Diagnóstico

O diagnóstico da síndrome de West depende de uma boa clínica, mas na maioria dos casos o exame físico geral, feito nos períodos entre as crises, não mostrará nenhuma alteração, a não ser atrasos ou detenções do desenvolvimento. Não existe nenhum achado clínico que seja patognomônico da doença. O exame complementar mais importante que deve ser realizado em pacientes com suspeita de síndrome de West é o eletroencefalograma, que registra o gráfico de corrente elétrica do cérebro.

Tratamento

O tratamento deve acontecer o quanto antes para que as crises epiléticas não causem sequelas no cérebro, tendo como objetivo de eliminar os espasmos com o menor número de medicações e menores efeitos colaterais. Atualmente existem várias linhas de tratamento. Até algum tempo, era comum o uso de hormônio adrenocorticotrófico (também chamado de corticotrofina ou ACTH), uma substância injetável e bastante eficaz, mas com a desvantagem de ter o preço muito elevado. Felizmente, nos últimos anos, surgiram outras opções de medicamentos anticonvulsivantes, como a vigabatrina, que tem sido muito prescrita pelos médicos. A fisioterapia tem o objetivo de tratar ou tentar diminuir as sequelas, além de tentar evitar as deformidades, fazendo-se mobilização passiva e alongamentos. Também a hidroterapia pode ser de ajuda na solução das espasticidades existentes. Enfim, os cuidados de uma equipe terapêutica multidisciplinar com médico, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional e fonoaudiólogo ajudam muito no tratamento das crianças portadoras desta condição.

 

Fontes:

https://bit.ly/2vN4srM

https://glo.bo/2vsNVtD

https://bit.ly/2voicdo

https://bit.ly/2MrYBPN

https://bit.ly/2MivnpX

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *