Conselheira do Flamengo usa “autismo” como termo pejorativo.

Marion Kaplan, conselheira do flamengo, faz crítica ao E-Sport (Esporte eletrônico) e utiliza o termo autismo de forma pejorativa. 

A conselheira gerou revolta tanto da comunidade de esporte eletrônico quanto dos autistas. Em fevereiro deste ano ela soltou diversos ataques, pelo twitter, ao time de League of Legends (E-sport) do Flamengo alegando que o clube considera mais esse setor do que o futebol feminino.

Após ter compartilhado este primeiro ataque e ter recebido duras críticas e xingamentos ela continuou. E fazendo isso, dessa vez, resolve não só atacar o E-sport, como também a comunidade envolvida no espectro autista. Utilizando a palavra autismo de forma inapropriada, como um xingamento.

Um pai de uma autista foi tentar explica-la que o que ela fez foi errado e a mesma respondeu de uma forma ignorante. Em contato pelo telefone com o sport tv Marion alega que Devido a enorme quantidade de xingamentos e comentários negativos preferiu apagar sua conta da rede social.  

Por ter encarado todos esses xingamentos e comentários negativos a seu respeito, Marion deveria ter percebido o quanto foi insensível e ignorante ao falar aquilo. Logo, o melhor a se fazer era assumir o erro e se desculpar ao invés de “fugir”.

Fonte:

https://glo.bo/2Ee9DFn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *